Entrevista
Pedro nascimento
A gráfica que faz a revista korpus burlou a editora da SG

Daniel santos - O que é que se passa com as revistas que a data do seu lançamento já foi adiada 2 vezes ?

Pedro Nascimento - Lamentavelmente, existem pessoas, que não têm respeito nenhum pelo trabalho dos outros e não hesitam em trair a confiança de quem confiou neles. Como é que poderíamos sequer imaginar, que o dono da gráfica a quem pagámos para imprimir as revistas, e que imprime a revista Korpus desde o seu lançamento há mais de 5 anos, assim como alguns cartazes de bares gays, nos iria burlar ? Mas foi exactamente isto o que aconteceu. O proprietário da gráfica Sinal Gráfico, em Fetais, que imprime a revista Korpus e que nos garantiram ser de total confiança, meteu o nosso cheque ao bolso, e as revistas nem vê-las. Recusando-se inclusive, durante estes dois meses em que tudo isto se arrastou, a dar-nos qualquer tipo de explicação. Desligando-nos sucessivamente o telefone na cara.

Como é conseguiram aguentar essa situação tanto tempo ?

Com muita angustia. Andámos meses e meses a preparar essas edições. Noites e noites sem dormir para que tudo saísse perfeito. Estávamos exaustos (não é fácil alimentar duas revistas). Tão exaustos, que levámos dois meses a convencer-nos que tínhamos sido vitimas de um calote... Grande parte desse trabalho ficou inutilizado,  e vai ter de ir para o lixo porque, entretanto,  ficou desactualizado...   

Daniel santos - Mas porque é que as revistas não eram impressas ?

Fomos alertados, na semana passada, por um dos funcionários  desta gráfica, de que o seu proprietário  " andava ás voltas com uma divida avultada, que ameaçava provocar o encerramento da gráfica, vocês apareceram, dispostos a pagar adiantado e ele aproveitou-se"...  E que ele "nunca teve sequer intenção de imprimir as revistas", até porque "dada a dimensão e o volume de revistas e o tipo de máquinas que eles possuem (só imprimem a 2 cores), era impossível faze-lo ali"... 

Mas que tipo de justificações é que o proprietário da gráfica te dava ?

Ele desligava-nos o TM na cara (quando percebia que éramos nós, e se insistíamos, desligava sucessivamente o TM). Numa das poucas vezes que consegui falar com ele, depois de lhe ter entregue o cheque, passado quase um mês, disse-me que tinha mandado imprimir as revistas em outra gráfica e que o atraso se devia a uma avaria nas máquinas, mas que a SGcosmoboys, já devia estar impressa. Depois disto nunca mais consegui voltar a falar com ele porque nunca estava na gráfica e não nos atendia o telemóvel.  Só após muita insistência, e deslocações á gráfica, quase outro mês depois, é que consegui voltar finalmente a falar com ele através do telefone da gráfica, na passada terça feira (25 de novembro) e isto só aconteceu, porque foi ele a atender, embora tenha começado por tentar enganar-me fazendo-se passar por outra pessoa. Mas reconheci-lhe a voz. E foi nessa altura que, sem qualquer explicação, me disse simplesmente que não iria imprimir as revistas e que fossemos lá buscar o dinheiro dali a 8 dias (no próximo dia 3 de dezembro)...

E as pessoas que trabalham na gráfica, o que é que elas te diziam ?

Fazemos questão de referir que nada temos contra os funcionários desta gráfica que sempre nos trataram com respeito e simpatia. Inclusive, mostraram-se sempre muito incomodados com a atitude do seu patrão, Paulo Rodrigues. Mas nada podiam fazer...

Achas mesmo que ele vai devolver o dinheiro no dia 8 ?

Depois de tudo o que se passou, temos muitas dúvidas, mas caso isso não aconteça vamos imediatamente apresentar queixa de burla na Policia judiciária e entregamos o caso a um advogado.

Entretanto as revistas vão ficar suspensas ?

Entretanto já estamos em negociações com outra gráfica, a Eska Portuguesa, que imprime a revista "Diferente", e logo que tudo esteja tratado começaremos a imprimir a SGmagazine. Mas vamos cancelar o lançamento da SGcosmoboys enquanto a questão com a gráfica burlona não se resolver definitivamente...

Em compensação, estamos a aproveitar para dar uma melhorada no conteúdo da SGmagazine que está agora muito mais atraente e interessante.

E em lugar de ter apenas 50% das páginas a cores, e as restantes a preto e branco, como ia acontecer na gráfica burlona, decidimos que agora vai ser toda a cores. E ainda terá mais 8 páginas...

Achas que o que aconteceu pode contribuir de alguma forma para desmotivar as pessoas que fazem as revistas ?

Não. As contrariedades não nos desmotivam porque somos muito persistentes, e sabemos o nosso valor, aquilo que queremos e daquilo de que somos capazes. E nada nos fará desistir daquilo que ambicionamos. Somos pessoas equilibradas, bem resolvidas, bem sucedidas... A nossa vida é muito mais do que o nosso trabalho no site e nas revistas. E eu nem conseguiria trabalhar com pessoas que não fossem assim...

Queres apontar alguma data para a saída da SGmagazine ?

Não. não vou apontar mais datas. O que posso dizer, é que estamos a fazer tudo o que é humanamente possível para pôr a revista nas bancas o mais rapidamente possível...

Achas que depois de terem sido apontadas duas datas que falharam, as pessoas podem não voltar uma terceira vez ás bancas para procurar a revista ?

O nosso site conta com mais de 50 mil visitas, apesar de só existir há um ano, o que quer dizer que  são muitos os milhares de pessoas que nos  vêm acompanhando regularmente. E pelos mails elogiosos que estamos sempre a receber dá para perceber que essas pessoas apreciam muito o nosso trabalho e confiam em nós... Elas já sabem que não vamos lançar mais uma revista, assim como não lançámos mais um site. Já provámos que sabemos fazer diferente e aquilo que fazemos toca as pessoas. E isto acontece, porque nos entregamos de corpo e alma aquilo que fazemos. E porque somos pessoas realizadas e felizes, isso reflecte-se em tudo o que fizermos...


Qual é o segredo ?

Ser honestos com nós mesmos e com os outros. O erro de muitas gente, é fazer as coisas mais pelo sucesso, para obter protagonismo, para se auto-promover, ou só porque lhes dá muito prazer faze-lo... Mas tudo o que a gente faça só consegue realmente tocar os outros, se for feito a pensar neles. E só se consegue fazer isso, se soubermos ouvir e compreender as outras pessoas esquecendo-nos um pouco de nós... 

E é dentro desse espirito que estão a fazer a Sgmagazine...
A SGmagazine não é fruto de um capricho. Os nossos caprichos não dão frutos (risos). A árvore dos nossos frutos é o nosso trabalho. A SGmagazine vai ser o fruto de muito estudo... E esse estudo é feito observando constantemente os outros, o mundo á nossa volta. Somos observadores natos. E viciados nisso...

Regressar á página inicial