A mentalidade das pessoas está mudando sim, está evoluindo e se abrindo, mas é graças a pessoas corajosas, os poucos heróis que não se acovardam diante da injustiça, da discriminação e das atrocidades héteras e religiosas. Se hoje pudemos assistir a essa novela de "vanguanda" com um casal de Lésbicas, foi graças a pessoas,  militantes ou não, mas conscientes de que ser Homossexual não é vergonha nem desonra, graças a pessoas que se revoltaram um dia contra a opressão e resolveram devolver as bofetadas que levaram. 

São pessoas assim, admiráveis e heróicas, que exercitaram sua Homossexualidade abertamente sempre que podiam, que faziam de tudo para não se renegarem e para mostrar ao resto da população, inclusive a outros Gays, que amar alguém do mesmo sexo é algo puro, honrado, nobre e bonito, pois é amor.

Nada ou muito pouco temos a agradecer àqueles coitados que, vítimas da extrema pressão heterossexista, não ousaram se libertar, pior, incentivaram muitos outros Gays a continuarem a esconder-se, a não contar aos pais, a não tornar pública a sua relação de anos, a não defender os Homossexuais quando nos depreciavam em rodas de amigos. Se hoje em Portugal os gays já podem viver em união de facto, isso vcs devem àqueles poucos que não deixam de lutar por conquistas que beneficiarão a todos, inclusive os enrustidos.

No caso da novela, à parte do fato de o beijo só ter sido permitido através de uma encenação de teatro, a maior revolta foi quando o capítulo acabou e todos os outros casais se beijaram livremente na boca, como casais de verdade dentro da trama, não como dois actores que sobem no palco para "representar" um beijo. É como se zombassem de nós, como se dissessem: "Tá bom, a dupla de aberrações já agradou os moderninhos e os curiosos, já deu um beijinho como Romeu e Julieta na ficção da peça escolar, agora é hora de nós, casais de verdade, nos beijarmos e mostrarmos amor pelos nossos companheiros, porque nós sim temos esse direito". Na realidade, o casal Lésbico não se beijou como casal e sim como personagens héteros dentro de uma interpretação. O correcto seria, após terminada a peça, elas se beijarem também, como pessoas da vida real,  para comemorar o sucesso da formatura.

É por isso que eu não vou esperar que uma novela faza por mim o que é minha obrigação: viver a minha vida sem segredos e ser feliz com quem amo, doa a quem doer. Todas as vezes que eu tiver vontade de abraçar o meu marido, de beijá-lo, de passar a mão no seu rosto, de me deitar no seu colo ou  de lhe dizer que o amo, não vou pedir permissão a ninguém, porque JAMAIS um casal hétero me perguntou se podiam andar de mãos dadas na rua ou se beijar no cinema.

Pode me criticar quem quiser, eu falo o que sinto e acredito. Sou Gay com orgulho e de cara limpa. Opiniões contrárias? Discordâncias? Sempre haverá! Isso é natural, pois se todos pensassem igual não haveria preconceito e discriminação na sociedade. Argumentar em contrário não é proibido, é direito de todos. Termino este meu desabafo pessoal com uma frase, que na minha vida já se tornou realidade há muito tempo, do meu querido amigo Welton: "Haverá um dia em que um beijo será simplesmente um beijo"...

Marcelo (Brasil)

Regressar á pagina inicial